12/11/2013

7º Festival da Canção "Canta FESP/CPN"

A 7ª edição do Canta FESP-CPN teve como grande vencedor o cantor e compositor Antônio Eudeus Fraga de Queiroz. O cearense que mora em Belém do Pará levou o prêmio de cinco mil reais com a música “Urubu Mestre do Voo”. O Festival da Canção atraiu um grande público no salão social do Clube Passense de Natação, na última sexta-feira (08), para prestigiar as 17 composições inétidas selecionadas dentre mais de 100 inscritas.

O evento é promovido pela FESP, em parceria com o CPN, no intuito de resgatar a tradicionalidade dos antigos festivais, incentivando a produção e divulgação da música popular brasileira. Segundo o presidente do Conselho Curador da FESP, Fabio Pimenta Esper Kallas, o Festival é mais uma ação da Fundação no esforço de levar arte e cultura para a comunidade. “Sem dúvida este festival já consta no calendário de muitos artistas do nosso país e vamos trazendo um pouquinho de cada canto do Brasil para a nossa cidade através destes compositores. É uma satisfação enorme ver esse intercâmbio acontecendo perto de nós. Ganham os artistas e ganha o público que conhece e valoriza os trabalho deste músicos”, declarou o professor.

A diversidade cultural e o alto nível das canções apresentadas também foram os argumentos destacados por Fernando Alcides de Souza ao defender com afinco a promoção. “Eu sempre gostei de festivais, tinha conhecimento deste da FESP e eu sempre frequentava. Lá em Alfenas, na minha época de universitário eu participava de festivais e por isso conheço muita gente que está aqui hoje. É um evento interessante, muito bonito e organizado! A gente torce para que dê prosseguimento nesta parceria que oferece uma cultura diferenciada. Um evento desses dá a oportunidade de conhecer um tipo de música que foge do que temos de costume e é de muita qualidade. Vieram alguns compositores novos e deu um choque de cultura aqui no clube, mantendo viva a nossa MPB”, pontuou o diretor social do CPN.

A competição foi acirrada e o corpo de jurados decidiu por pouca diferença os cinco primeiros colocados. Para Cleide Massoli Capel, as músicas eram muito boas, as letras bonitas e algumas interpretações foram perfeitas. “Acaba que a dificuldade na decisão pesa um pouquinho”, confessou a jurada, estando de acordo com o colega Led Borges, que também considerou a decisão dicícil. “Achei bem legal! A cada ano que passa o Festival ganha mais músicas de expressão. Estou muito feliz de poder fazer parte deste corpo de jurados e foi muito difícil a escolha”.

A soma final das notas, consagrou Antônio Eudeus Fraga de Queiroz, que roda todo o Brasil mostrando seu trabalho no circuito de festivais. “Eu nunca tinha vindo e fiquei feliz não só pela premiação, mas também por rever amigos e conhecer outras pessoas daqui da região. É muito bacana essa interação! É um prazer estar aqui e eu estou muito feliz porque o festival pra mim é a grande válvula de escape da música popular brasileira. Olha quanta gente veio para ouvir músicas que elas nunca ouviram antes! Isso é muito difícil de conseguir e é uma satisfação enorme”, disse o músico emocionado depois de receber o trofeu Lereia.

Lígia Cabral foi outra grande artista da noite. De Contagem (MG), veio a talentosa cantora que conquistou o segundo lugar e levou o prêmio de melhor intérprete com a canção “Definitiva”. “É difícil de expressar um momento desses. É uma sensação tão boa! É muita felicidade. É uma música completa, melódica, com uma letra agradável e eu tive a graça de ser premiada duas vezes esta noite. Missão cumprida! Valeu a pena! Passos me deu sorte e com certeza estarei nos próximos Festivais daqui”, prometeu Lígia, muito aplaudida pelo público.

Zé Renato, de Paraguaçu (MG), com a música “Sem Fronteiras”; Anderson, Rogério e Fran, de Belo Horizonte (MG), defendendo “Cantador”; e Ruthe Glória, de São Paulo (SP), cantando “Vá Buscar seu Sonho”, conquistaram os prêmio em terceiro, quarto e quinto lugares, respectivamente.

Para a professora Leila Maria Suhadolnik de Pádua Andrade, organizadora do evento junto da também professora Sílvia Maria Soares Maia, o nível de qualidade dos artistas foi superado. “Todas as músicas foram lindas e muito bem apresentadas. Estamos muito contentes em ver que conseguimos oferecer para este público uma noite de muita sensibilidade musical e expressiva”. Sílvia finalizou comentando que o Canta FESP-CPN alcançou abrangencia nacional e que isso só vem agregar mais valor e reconhecimento à realização da Fundação de Passos.

A cidade mostra seus talentos

O diretor do Núcleo Acadêmico de Educação da FESP, Anderson Jacob Rocha, lembrou que a presença de músicos passenses dá mais visibilidade ao Festival. “Estou vendo muita gente, muitas famílias e muitos estão aqui para torcer pelos seus conhecidos. A cada ano a expectativa melhora, inclusive para as músicas de compositores de Passos, porque antes nós não tínhamos este pessoal aqui”.

Quatro concorrentes de Passos tiveram torcida presente no Festival da Canção. João Eudes Ferreira Piassi cantou “Espaçonave Terra”; Felipe Grilo interpretou sua composição “Questões”, do seu CD “Interiores”, e Denílson César recebeu prêmio especial como melhor colocado de Passos, com a canção “Em nome do Pai”.

A Banda Saudade da Zona também fez parte das apresentações e com emoção relembrou os tempos áureos dos festivais. “Meu pai particiou de muitos festivais como este que nós estamos tendo o prazer de participar hoje. Já cantei com ele, mas como Saudade da Zona é o primeiro e foi graticante. A FESP está de Parabéns por promover este Festival que é um celeiro com vários artistas do Brasil inteiro! Estar resgatando a cultura de festivais tradicionais da nossa região, que já foi muito forte nessa área, é garantia de sucesso”, disse Lupen Freitas, baterista e dentista, que ao lado do irmão agitou a plateaia empolgada com a inédita “Olhos Amarelos”. “Esse música veio de um encontro relâmpago que ficou marcado na minha vida. É uma lembrança de um bom momento e que agora faz parte do nosso CD autoral que estamos produzindo”, completou Lui Freitas.

“Eu achei que houve um salto de qualidade. Das 16 músicas, eu tiraria 10 e daria o prêmio no escuro para qualquer uma das 10. Eu achei fantástico! Festival é festival! É onde tem a raiz e de onde saem as feras”, finalizou o colunista Mark Piassi.

Após a premiação aconteceu um show especial de cover do Raul Seixar para fechar a noite de música.

A Canta FESP é financiado pelo Fundo Estadual de Cultura (FEC).

FONTE:Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

ver todas as notícias