03/01/2013

Esclarecimento Sobre o Reveillon

Como Presidente do CPN , uso esse espaço para esclarecer os acontecimentos, alheios a nossa vontade, relacionados ao Reveillon.

Fui surpreendido, poucas horas antes do evento, pelo comando do Corpo de Bombeiros(CB) nos proibindo a tradicional queima de fogos e o uso de tendas sob a alegação da falta de vistoria com 10 dias de antecedência.

Tentei inúmeros contatos com o comandante do CB pessoalmente, via amigos do mesmo, via deputados etc. sem sucesso.

Ele, mesmo tendo a obrigação de me receber, se negou, me cerceando os direitos de defesa, principio máximo da Constituição.

Ás 19:30h do dia 31, o próprio comandante do CB fez o isolamento da área das tendas , proibindo seu uso.

Com relação à queima de fogos não a realizamos. Estão pagos e guardados. No que diz respeito às tendas não havia tempo hábil para serem retiradas. Salientamos que em nenhum momento nos passou pela mente a desobediência á lei.

Com a intransigência do CB em entender que os fogos e o uso de tendas, que são usadas há mais de dez anos, nunca sendo necessária tal vistoria alegada, que o CPN tem o alvará do CB, que o evento não é temporário e o risco de pânico, com a interdição parcial do clube, seria muito maior, pois, não teríamos como acomodar cerca de 3.000 pessoas.

Procurei o comandante do 12º BPM, que respeitando a decisão do CB o 12º BPM só agiria a pedido dos bombeiros, não entraria no CPN com o efetivo da PM por, obviamente, ser muito pior, devido à impossibilidade de se conter 3.000 pessoas sem risco.

Desta forma, seria preso o responsável pelo evento, independente de quem violasse o lacre, sendo o mesmo, responsabilizado por eventuais ocorrências durante e após o Réveillon.

Eu não tinha escolha. Era o pânico ou minha prisão. Às 22:30 h o lacre foi violado e eu acionei os Bombeiros de meu celular pra o número 193 que vieram ao CPN, registraram o fato e e acionaram a PM , ocasião em que fui levado para a delegacia, ficando à disposição do Delegado para as providencias cabíveis.

Felizmente, às 2:00 h do dia 01/01/13, fui liberado.

Chegando ao CPN às 02:45 h, foi imensa minha felicidade ao ver a linda festa que vocês, associados e convidados, realizavam de maneira ordeira, alegre, fraterna e responsável.

Meu eterno agradecimento a todos vocês, funcionários, meus diretores e conselheiros, ao impecável serviço do Buffet Paparela e os inúmeros amigos solidários.

Uma observação: para que vocês tentem imaginar como foram aquelas horas, às 23:00h uma viatura da PM parou na porta do CPN (pensei que já iriam me levar, pois eu tinha pedido aos bombeiros que para evitar pânico com minha retirada de dentro do CPN, eu esperaria a PM do outro lado da rua) e os policias disseram que estavam ali porque ouve uma denuncia no 190 de que dentro do CPN haveria uma mulher com arma de fogo. Com as características da mesma voltei para dentro do CPN e em 15mim a encontramos, mas não havia arma alguma. Era uma denuncia falsa. Isso foi parte do meu dia pelo CPN e espero que compreendam se os frustramos em algo. O CPN, agora, responderá judicialmente por eventual desobediência.

Continuo com meu lema: “Se fazes para o bem, fazes o que queres”.


Fraternalmente Dr. Antônio Carlos

Presidente

ver todas as notícias